Clique no ícone do Whatsapp e contate-nos.

Lindo, paradisíaco e apaixonante,

conheça Jericoacoara

Lindo, paradisíaco e apaixonante,

conheça Jericoacoara

Lindo, paradisíaco e apaixonante,

conheça Jericoacoara

 
 
 

ONDE

 
O Parque Nacional de Jericoacoara se encontra localizado a 300 km ao oeste de Fortaleza. Reúne um conjunto de belezas naturais de diferentes biomas criando um lugar único. Em 1994 o jornal americano “Washington Post” a escolheu como uma das dez mais belas praias do mundo. A vila não possui postes de iluminação para preservar a iluminação proveniente da lua e das estrelas, as ruas são de areia e não existe estrada de acesso nos últimos 15 km, portanto é necessário veiculo 4x4 para chegar.

HISTÓRIA


Jericoacoara ou Jeri é um lugar fora do comum comparado com o mundo moderno das grandes cidades, com tempos corridos, engarrafamentos e filas... As ruas são cobertas de areia e as praias estendem-se por quilômetros sem interferências visuais... Tudo tem um toque mais lento e mais descontraído.

 

Até cerca de 20 anos atrás, Jeri era apenas uma simples vila de pescadores isolada do mundo, visitada somente por viajantes aventureiros. Não havia estradas, eletricidade, telefone, televisão, jornais e pouco se usava dinheiro. O comércio era feito através de troca de produtos, como peixe por arroz, e assim por diante.

Mas todo isso não quer dizer que você vai ter que se privar do conforto e luxo. Quase tudo que desejar, você pode ter em Jeri; desde massagens a jantares deliciosos, de bares tranquilos a casas com música ao vivo, além de excelentes Hotéis em Jericoacoara para todos os gostos.

 

A cidade ficou famosa por ser uma das praias mais belas e longas do mundo, cercada por dunas e lagoas de água doce – levando pessoas de todo o mundo a suas margens. Em 1984, uma lei federal declarou Jericoacoara área de proteção ambiental e em 2002 a área alcançou o status máximo de em termos de proteção ambiental, sendo nomeada Parque Nacional. Devido às restrições à construção e leis de proteção ambiental, Jericoacoara tem crescido de uma forma positiva. Empresários engajados em proteger a beleza e a simplicidade de Jeri, criaram pousadas pequenas e aconchegantes que oferecem charme e sofisticação sem grandiosidade ou extravagâncias.

JERICOACOARA: O QUE FAZER

 
O Parque Nacional de Jericoacoara se encontra localizado a 300 km ao oeste de Fortaleza. Re��ne um conjunto de belezas naturais de diferentes biomas criando um lugar único. Em 1994 o jornal americano “Washington Post” a escolheu como uma das dez mais belas praias do mundo. A vila não possui postes de iluminação para preservar a iluminação proveniente da lua e das estrelas, as ruas são de areia e não existe estrada de acesso nos últimos 15 km, portanto é necessário veiculo 4x4 para chegar.

PRAIAS

Praia da vila

 

O que fazer em Jericoacoara: praia. A praia em frente à vila tem uma faixa de areia que alarga e encurta de acordo com as marés. A água é rasinha, com ondas intermitentes mas inofensivas (dá para fazer SUP surf).

 

Com o fim do trânsito de veículos na praia, aumentou a área ocupada por espreguiçadeiras. São todas de madeira, com colchonetes (traga sua canga ou peça toalha na pousada). Os barraqueiros que alugam as espreguiçadeiras também vendem bebidas e fazem drinks. Em julho de 2017, o conjunto de duas espreguiçadeiras + guarda-sol custava R$ 5 por hora.



Lagoa do Paraíso, Jijoca

 

Se não sabia, fique sabendo: todas aquelas fotos de praias de areia branquíssima e água caribenha são tiradas nas lagoas de água doce de Jijoca. E já que estamos aqui, é necessária uma segunda revelação: 'as lagoas' são, na verdade, uma só. Lagoa Azul e Lagoa do Paraíso são apenas os nomes de dois trechos da Lagoa de Jijoca. No auge da temporada seca, lá pelo fim do ano, elas costumam se dividir, tornando-se realmente duas.

 

A propósito: o volume de chuvas no primeiro semestre é decisivo para a situação das lagoas. Quanto menos chuva, mais cedo elas ficam com pouca água (em 2016, a Lagoa Azul chegou a fechar). Em 2017 choveu bastante no primeiro semestre, então é provável que as duas cheguem com água ao verão de 2018.



Lagoa Azul

 

A Lagoa Azul voltou a ter água, e reabriu em 2017. Fica para os lados do Preá e é o point de passeios de bugue e de quem alugou quadriculo.



Lagoa do Paraíso

 

O que fazer em Jericoacoara: Lagoa do Paraíso, Jijoca A Lagoa do Paraíso é mais perene e fica perto do centro de Jijoca. Ao longo desta margem se encontram restaurantes com boa estrutura, alguns deles pertencentes a pousadas



 

Ponto das jardineiras para Jijoca

 

O transporte entre Jeri e a Lagoa do Paraíso é muito fácil: basta ir ao ponto de jardineiras da rua São Francisco (perto da agência da Fretcar) e subir na primeira da fila. Quando lotar, com 12 passageiros, a jardineira parte -- e deixa os passageiros onde quiserem, na Lagoa do Paraíso ou no centro de Jijoca. Para voltar, peça para o restaurante chamar; pode demorar um pouco, mas a jardineira passa. A passagem custa R$ 20 por passageiro, por trecho. (Atenção: as jardineiras não passam na Lagoa Azul.) Praia do PreáPraia do Preá

Na geografia dos ventos de Jericoacoara, a praia do Preá é reservada para os kitesurfistas. É uma praia de mar aberto, sem maiores atrativos além do balé das kites.

 

Pôr do sol na duna (é uma continuação do Jardineiras¿)

 

Jericoacoara

 

O ritual se repete todas as tardes: perto das 5, os visitantes largam tudo o que estão fazendo e se dirigem à duna. De longe, parecem formiguinhas em fila galgando uma pedra. O sol começa a cair às 5 e meia; no começo a descida é lenta, mas perto das 6 acelera até o momento de desaparecer no mar, sob aplausos. Querendo injetar adrenalina no pôr do sol, dá para fazer esquibunda ou snowboard. Na saída, a tradição é descer a duna pela frente. (Não se preocupe, o vento imediatamente recompõe a forma original da montanha de areia.) 



 

Pedra Furada

 

Se a duna é o passeio mais popular, a Pedra Furada é o cartão postal oficial de Jericoacoara. Fica a meia hora de caminhada desde o canto direito da vila. O caminho pela beira-mar, porém, só pode ser feito na maré baixa; na maré alta a rota é por cima do Morro do Serrote. O ideal é ir de manhã, para que o sol incida na pedra. Muita gente também vai para o pôr do sol; em julho, o sol se põe 'dentro' do furo da pedra. Se não quiser ir andando, você pode contratar um passeio a cavalo até a Pedra Furada.

Os bugueiros não gostam de fazer o passeio específico à Pedra Furada; o mais comum é incluir a Pedra Furada como parada dos passeios de bugue na direção leste. Passeios de bugueHá dois passeios de bugue principais, de dia inteiro:

 

De bugue para o oeste: é o passeio mais diversificado. Você é levado até Mangue Seco, onde faz o passeio de canoa para ver cavalos-marinhos (pago à parte), depois atravessa de balsa a Guriú, sobe as dunas de Tatajuba, almoça no Lago de Tatajuba e volta para o pôr do sol na duna. Custa entre R$ 300 e R$ 350 por bugue para até 4 pessoas. O passeio do cavalo-marinho custa R$ 15 por pessoa.

 

De bugue para o leste: passa pela Pedra Furada e pela Árvore da Preguiça (uma planta de mangue que parece árvore e virou atração turística) e segue para as lagoas Azul e do Paraíso. Pode-se negociar para incluir a Barrinha, uma duna com lagoas estilo Lençóis Maranhenses. Custa entre R$ 270 e R$ 300 por bugue para até 4 pessoas. Preço de julho/2017.

 

Dá também para negociar passeios mais curtos, à Lagoa Azul, à Barrinha ou às dunas do parque nacional.

 

O melhor momento de negociar passeios é à noite. Há vários stands de cooperativas e agências no iniciozinho da rua Principal.



Entre em contato